Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência de navegação.

1

Princípios de proteção radiológica

Princípios de proteção radiológica

Todas e qualquer nova tecnologia traz risco e também algum custo para a sociedade, e a aplicação das radiações ionizantes em contextos profissionais, como na medicina, na ododntologia ou na indústria, não foge a essa regra. Sendo uma energia em movimento que tem o efeito de deixar ambientes e materiais eletricamente carregados, essas radiações podem prejudicar a saúde humana quando não utilizadas de maneira correta e adequada.
Em geral, as atividades de proteção radiológica seguem quatro princípios fundamentais:
Justificativa da prática e das exposições individuais à radiação, pelo qual o benefício gerado pelo uso da radiação se mostre maior que os danos causados por sua aplicação; e essa justificativa para exames radiológicos deve ser feita individualmente, ou seja, considerando a necessidade de exposição e as características particulares do indivíduo envolvido.
Otimização da proteção radiológica,que visa preservar a segurança e a saúde dos indivíduos expostos a radiação ionizante em hospitais, clínicas e outros locais em que se utilizam equipamentos de radiação e tomografia, incluindo pacientes, profissionais e o público em geral.
Limitação de doses individuais, que se aplica ao pessoal ocupacionalmente exposto à radiação ionizante e ao público em geral, mas não a pacientes; esses limites são calculados em doses anuais, considerando a grandeza das doses efetiva e equivalente, o órgão do corpo humano afetado pela radiação
Prevenção de acidentes nos locais de trabalho, com riscos considerados e analisados no projeto das instalações e dos equipamentos e também nos procedimentos de trabalho que envolvam o uso de fontes de radiação ou material radioativo, de modo a minimizar a probabilidade de ocorrência de acidentes.